• Luiza Miccoli

A Popularização dos Leilões.

Atualizado: Jun 3


De um tempo para cá, podemos afirmar que o palavra “leilões” é pronunciada com mais frequência, seja leilões judiciais, extrajudiciais, de imóveis, de automóveis e entre outros.


Em que pese à grande resistência e do preconceito da grande maioria das pessoas sobre a aquisição de bens por meio dos leilões, muita gente está tomando gosto pelo assunto e, quem já conheceu esse universo, está buscando mais informação para continuar.


Ocorre que o arrematante precisa compreender a diferença entre informação e conteúdo.


Em diversos canais de mídias é possível encontrar abordagens diversas sobre o assunto dos leilões e, principalmente, sobre os leilões de imóveis. Certamente você, que está lendo esse artigo, já realizou uma pesquisa dessas e, ainda, já deve ter adquirido cursos, materiais ou assistido muitos vídeos sobre.


É fundamental popular o assunto dos leilões, sim.


Se essa opção de aquisição de bens realmente “cair na língua do povo”, haverá uma grande transformação no mercado imobiliário, além de contribuir de forma significativa para com o Poder Judiciário e para com a economia brasileira.


Contudo, é necessário discernimento e bom senso entre a popularização do assunto e a banalização dos profissionais. Trocar experiências e informações é uma coisa, mas garantir sucesso e enriquecimento com “receitas de bolo” é totalmente outra.


O sucesso nos leilões (seja ele qual for) depende da união de 02 segmentos inseparáveis: a parte comercial + financeira com a parte jurídica. E essa parceria não pode acabar.


Verificar e analisar as condições comerciais e financeiras daquilo que se pretende adquirir é o requisito essencial de qualquer coisa e em qualquer relação, seja um compra de R$ 10,00 ou de R$ 10.000.000,00, ninguém sai por aí desembolsando quantias sem a mínima noção do que está fazendo.


Claro, não há prejuízo algum em buscar informações com quem tem experiência, tentar encontrar passo a passo e outras formas de dicas. Em razão da falta de material completo, é válido sim ouvir e seguir indicações de quem já arrematou e obteve sucesso.


Mas, a divulgação do conhecimento não pode ser promessa de mudança de vida, pois, cada aquisição é uma e surpresas podem sim aparecer ao longo do caminho. Quando os requisitos comerciais + financeiros do imóvel são verificados e são positivos, não se pode esquecer da análise jurídica.


A viabilidade jurídica do negócio precisa ser feita, com qualidade e atenção. O arrematante e o investidor até podem entender, um pouco, sobre essa parte, mas analisar os atos registais e confirmar se o bem está ou não desocupado, estão longe de serem suficientes, pois, nessa situação, aquela opção maravilhosa de lucro e investimento se torna um mico colorido.


Por isso, popular o assunto dos leilões é essencial e benefício para todos, mas não se pode permitir a banalização dos profissionais que detém, de fato, conhecimento na área

De um tempo para cá, podemos afirmar que o palavra “leilões” é pronunciada com mais frequência, seja leilões judiciais, extrajudiciais, de imóveis, de automóveis e entre outros.


Em que pese o preconceito da grande maioria das pessoas sobre a aquisição de bens por meio dos leilões, muita gente está tomando gosto pelo assunto e, quem já conheceu esse universo, está buscando mais informação para continuar.


Ocorre que o arrematante precisa compreender a diferença entre informação e conteúdo.


Em diversos canais de mídias é possível encontrar abordagens diversas sobre o assunto dos leilões e, principalmente, sobre os leilões de imóveis. Certamente você, que está lendo esse artigo, já realizou uma pesquisa dessas e, ainda, já deve ter adquirido cursos, materiais ou assistido muitos vídeos sobre.


É fundamental popularizar o assunto dos leilões, sim.


Se essa opção de aquisição de bens realmente “cair na língua do povo”, haverá uma grande transformação no mercado imobiliário, além de contribuir de forma significativa para com o Poder Judiciário e para com a economia brasileira.


Contudo, é necessário discernimento e bom senso entre a popularização do assunto e a banalização dos profissionais. Trocar experiências e informações é uma coisa, mas garantir sucesso e enriquecimento com “receitas de bolo” é totalmente outra.


O sucesso nos leilões (seja ele qual for) depende da união de 02 segmentos inseparáveis: a parte comercial + financeira com a parte jurídica. E essa parceria não pode acabar.


Verificar e analisar as condições comerciais e financeiras daquilo que se pretende adquirir é o requisito essencial de qualquer coisa e em qualquer relação, seja uma compra de R$ 10,00 ou de R$ 10.000.000,00. Fato é que ninguém sai por aí desembolsando quantias sem a mínima noção do que está fazendo.


Claro, não há prejuízo algum em buscar informações com quem tem experiência, tentar encontrar passo a passo e outras formas de dicas. Em razão da falta de material completo, é válido sim ouvir e seguir indicações de quem já arrematou e obteve sucesso.


Mas, a divulgação do conhecimento não pode ser promessa de mudança de vida, pois, cada aquisição é uma e surpresas podem sim aparecer ao longo do caminho. Quando os requisitos comerciais + financeiros do imóvel são verificados e são positivos, não se pode esquecer da análise jurídica.


A viabilidade jurídica do negócio precisa ser feita, com qualidade e atenção.


O arrematante e o investidor até podem entender, um pouco, sobre essa parte, mas analisar os atos registais e confirmar se o bem está ou não desocupado, estão longe de serem suficientes, pois, nessa situação, aquela opção maravilhosa de lucro e investimento se torna um mico colorido.


Por isso, popular o assunto dos leilões é essencial e benefício para todos, mas não se pode permitir a banalização dos profissionais que detém, de fato, conhecimento na área.

63 visualizações

NO LEILÃO

©2020 por No Leilão.